sábado, 20 de fevereiro de 2016

Vizinho, Vizinha

Vizinho, Vizinha De: Graça Lima , mariana Massarani e Roger Mello Escrito por: Fernanda Raupp Wilhelm Ilustração por: Alana Vitória Kremer Malicheuxki Quem passa pela rua do desassossego, número 38, nem percebe, mas... O vizinho do 101 toma café enquanto observa gravuras de bichos. A vizinha do 102 já voltou da maratona. O vizinho coleciona discos da Velha guarda. A vizinha guarda coisas que depois não encontras. Ela já viajou o mundo inteiro. Ela tem uma estante do tamanho do mundo. Ele molha as plantas no parapeito, vestido com um escafando, E quando lê quadrinhos, sempre perde a noção das horas. Ela ainda vai aprender a tocar clarineta, E seu relógio não funciona há muito tempo. Quatro e quarenta: Ele sai com o canário para o passeio. Vinte para as cinco: ela finalmente leva o relógio para o conserto. Só se encontram a esta hora. No corredor: Boa tarde, boa tarde, como tem passado? Como está o tempo? E é só. Vinte para as seis: Ele está de volta, construindo uma cidade de papel. Seis e pouquinho: Ela trouxe um “ Manual do químico moderno”. O conserto do relógio, Paciência, ficou para amanhã. Ele inventou uma maquina de fazer chover, e a vizinha não sabe. Ela alimenta um rinoceronte de baixo da pia, e o vizinho nem desconfia. Ele tem uma sobrinha quase da idade do neto dela. Ela tem um neto dois dedos menor que a sobrinha dele. Outro dia, a sobrinha do vizinho fez uma visita. Justo no dia em que o neto veio passear o dia com a vizinha. Quatro e quarenta: o vizinho saiu com o canário. A sobrinha Espreita. Vinte para as cinco: a vizinha levou o relógio ao conserto. O neto observa. As portas abertas e o convite irresistível: café com quadrinhos regador todos os livros do mundo manual do químico moderno monte de coisas velhas plantas bichos clarineta discos da Velha Guarda roupas de maratonas maquinha de fazer chover rinocerontes fotos do mundo inteiro gravuras gravuras gravuras escafandro cidades de papel... Depois que a sobrinha e o neto foram embora, O silêncio ensaiou meia dúzia de passos de dança. Enquanto toma café, o vizinho imagina as coisas que existem do outro lado. Qualquer dia desses ele convida a vizinha para entrar. Se ele convidar, ela aceita.